Uma Mente Fechada, Em Piloto Automático, Cansada e Alarmada É Perigosa

Vivemos em sociedades onde se vive em piloto-automático. Repetem-se padrões e estabelecem-se rotinas de comportamento, dia após dia. Age-se sem sentir o momento presente, sem apreciar e observar o que realmente está a acontecer, dentro e fora de nós.

Solicitam-nos o alto desempenho profissional, o alto desempenho nos estudos, o alto desempenho nas atividades desenvolvidas, sermos pais, filhos, amigos exemplares e, no meio de tudo isto, ainda existem questões pessoais a resolver. Não há tempo para aprender, não há tempo para a criatividade, não há tempo para nos conectarmos aos nossos sentimentos, só há tempo para nos subjugarmos às expectativas dos outros, em todas as áreas da nossa vida.

O cérebro está sobrecarregado de informações, o corpo está frágil, a mente está cansada. Surge a insónia, a tristeza constante, nervosismo, desânimo, angústia sem motivo, ansiedade, preocupações desnecessárias, perda de apetite, diminuição da líbido.

Surge a irritabilidade, a falta de paciência. Fazer qualquer tarefa exige um esforço enorme da nossa parte.

Tornamo-nos ansiosos, com o pensamento no futuro, querendo fazer várias tarefas ao mesmo tempo sem conseguirmos completar nenhuma. Ainda por cima, a falha de memória surge.

Viver em piloto-automático e com cansaço cerebral é uma porta aberta que afeta negativamente a nossa saúde mental, a nossa saúde física e as nossas emoções.

Impede-nos de expandir a nossa consciência, vivemos com a mente fechada:

*não gostamos, nem queremos que as nossas ideias sejam desafiadas e questionadas

*fazemos afirmações de como a vida deve ser vivida em vez de fazermos perguntas abertas para estarmos abertos ao novo

*perdemos a maior parte do nosso tempo a subjugar os outros ao nosso entendimento

*bloqueamos os outros impedindo-os de se expressarem genuinamente

*criamos apegos a crenças e normas castradoras

*não somos humildes e achamos que a nossa opinião está sempre certa

Resultado de tudo o que foi escrito até aqui: Vivemos com ansiedade, uma sensação generalizada de nervosismo, com a mente focada nas coisas que causam medo, causando medo aos outros. Imitam-se medos e crenças herdadas de geração em geração, esperamos o pior de qualquer situação.

Ao invés de nos focarmos no bonito, no novo, no bem, no belo, nos nossos pontos fortes e nos pontos fortes dos outros, substimamos os pontos fortes, criticamo-nos em excesso ou queremos ser uma coisa que não existe: perfeitos.

Apegados à ilusão da perfeição temos medo de arriscar coisas novas com medo de arriscar.

Criamos problemas emocionais e sofrimento emocional. Sempre que não conseguimos identificar as nossas emoções em relação a todas as áreas da nossa vida, não as expressamos ou não as queremos expressar provocamos obstáculos ao nosso bem estar.

Somos incapazes de amar o eu, de nos definirmos pessoalmente, de nos focarmos no momento presente, de encontrar o nosso propósito de vida.

Vivemos com o ego em vez de vivermos com a alma. Por isso, há tanta destruição, tanto conflito, tanta obrigação estabelecida para cumprir, tantos relacionamentos tóxicos, tanta falta de aceitação, amor, compaixão, alegria e empatia.

Qual a diferença entre viver com o ego e viver com a alma?

Ego Alma

eu nós

separação união

culpa compreensão

hostilidade simpatia

rancor perdão

orgulho amor

queixa gratidão

inveja partilha

inquietação tranquilidade

poder humildade

materialismo espiritualidade

loucura sabedoria

guerra paz

*

2 comentários em “Uma Mente Fechada, Em Piloto Automático, Cansada e Alarmada É Perigosa”

  1. I’m impressed, I must say. Really rarely do I encounter a weblog that’s each educative and entertaining, and let me inform you, you could have hit the nail on the head. Your concept is excellent; the difficulty is something that not enough individuals are speaking intelligently about. I’m very completely satisfied that I stumbled throughout this in my search for something relating to this.

    Responder

Deixe um comentário