Terror Na Infância, Medo No Adulto

Crescer num ambiente seguro e saudável, é acolher as necessidades da criança e estimular as suas capacidades.

É ajudá-la a superar as suas dificuldades e colocando limites, de forma paciente e amorosa, para que a criança, também, respeite os direitos dos outros.

Estas palavras parecem muito simples.

Estas frases estão muito certas.

Este é, realmente, o cenário perfeito para se ser criança.

Mas, na verdade, a realidade está muito longe de ser assim.

Quando não há amor, respeito, conhecimento, compreensão, compaixão e paz interior todo este jardim maravilhoso está coberto por ervas daninhas, que o impedem de florescer.

Crescer num ambiente de gritos, maus tratos físicos e/ou psicológicos, de medo, incompreensão cria um adulto que procura defender-se do mundo.

Quem não conheceu a felicidade na infância vê a vida com desconfiança e temor.

O medo faz-nos viver num alto nível de stress e de ansiedade e impede-nos de absorver, corretamente, as aprendizagens e o conhecimento.

Muitas das mensagens negativas, incutidas no nosso sub-consciente, provêm de emoções negativas cultivadas na mente e no coração, ao longo da nossa infância e adolescência.

Há carências e feridas plantadas no nosso sub-consciente que nos impedem de viver plenamente.

Quem não foi amado na infância, tem pensamentos negativos a seu respeito.

Quem recebeu amor condicionado a determinados comportamentos, não se sente merecedor de receber amor e, muitas vezes, nem tem consciência que é digno e tem o pleno direito de receber o melhor que o Universo tem para dar.

Uma educação autoritária e severa traz a escassez de afeto e de reconhecimento, provocando, muitas vezes, um nível de exigência tão elevado a si mesmo que nenhum desempenho é capaz de satisfazê-lo.

O passado não volta para trás.

Aceitar o que se passou e descobrir o que está por detrás deste cenário de desamor, de desequilíbrio e de desarmonia traz o perdão e a leveza interior.

Já alguma vez tentaste saber como foi a infância dos teus pais ou dos adultos que te criaram?

Quais foram os seus medos e tristezas?

Já os imaginaste com 4/5 /6 anos, crianças assustadas e frágeis, procurando amor e sem saber onde encontrá-lo?

É certo que tu não tiveste culpa disso.

Também é certo que os adultos que te rodearam em criança poderiam ter aberto a sua consciência, libertado o seu pensamento de ideias limitadoras de como a vida deve ser vivida, aprender a fazer melhor e, principalmente, a base de tudo, para se criar um jardim maravilhoso, terem aprendido a gostarem de si próprios e não de crenças e ideias castradoras.

Mas não o fizeram. Apenas repetiram comportamentos, mantendo uma consciência de si próprios, dos outros e do mundo muito limitada.

Quem não se ama e não tem a coragem de o fazer, não consegue amar.

Agora, tu podes aumentar o teu conhecimento, aumentar o amor por ti próprio, rasgar horizontes, aprender com o passado, tornar-te, passo a passo, numa pessoa melhor e contribuir para que este manancial energético – Universo – onde todos estamos inseridos, se torne num local mais harmonioso, gratificante e amoroso para se viver.

Faz a diferença 🙂

Deixe um comentário