Quem És Tu? Responde Sem: profissão, … Consegues? :)

Who are you?, answer without name, job, things what you did, friends

Passei pelo facebook e descobri a publicação acima transcrita, a qual passo a traduzir e a enriquecer 🙂 Desafio:

Quem és tu? Responde sem: nome, profissão, remuneração que ganhas, coisas que já fizeste, quem são os teus amigos 🙂 Repito 🙂 Quem és tu?

Foi há um ano, longe de imaginarmos que, um ano depois, está o mundo inteiro a reinventar-se por causa do Covid-19. Talvez, esteja mesmo na hora de olharmos para dentro: dentro de nós, do outro, do que se passa à nossa volta, sem filtros, sem ego, com coragem e humildade para aceitar que a vida frenética e ilusória vivida antes da pandemia estava a conduzir a humanidade e o planeta Terra a uma destruição silenciosa do Todo. Silenciosa para a maioria que vive em piloto-automático mas já percebida há muito tempo por quem é observador e se refugia, muitas vezes, no silêncio, para observar e se tornar ainda melhor observador.

Quem és tu é uma pergunta a que muitos respondem com base naquilo que é exterior a si próprio.

De regresso ao passado, a 2019, há um ano atrás, sem suspeita de Covid-19, alguém se aproxima de mim e apresenta-se da seguinte forma: sou Dr. X. Aliada ao facto de me parecer uma pessoa zangada com o mundo, confesso que com não fiquei com a melhor das impressões.

Por norma, quanto mais somos apegados a títulos académicos, a determinado tipo de profissões altamente respeitadas pela sociedade, a determinados estereótipos de amizades, mais revelamos os nossos medos, as nossas inseguranças, mais manifestamos a falta de conhecimento por nós próprios.

Também é verdade que quando temos necessidade de falar sobre atividades que realizámos, viagens que fizemos, notas altas que conseguimos obter em determinadas disciplinas ou cursos que tirámos, não como uma conversa natural, mas porque só assim nos consideramos aceites pelos outros, revelamos a falta de amor por nós próprios. Afinal 🙂 merecemos ser amados simplesmente por sermos quem somos: únicos, com talentos, habilidades e fragilidades.

Esta forma de nos apresentarmos a nós próprios e aos outros é transversal a todos nós. A mudança só acontece quando nos libertamos das vozes dos outros e escutamos o nosso coração.

Quem és tu? Responde sem: nome, profissão, remuneração que ganhas, coisas que já fizeste, quem são os teus amigos 🙂 Repito 🙂 Quem és tu?

De volta a Dr X e de volta à pergunta quem és tu?:

Após um ano de convívio e muitas surpresas pelo meio:

*mais gentil e atencioso que os colegas mais velhos de profissão;

*espontâneo e brincalhão;

*resiliente, mesmo quando já parecia ter ultrapassado todos os seus limites;

*mesmo com vontade de sair dali e com razão 🙂 dá o seu melhor, é empenhado e tem capacidade de liderança;

*é humilde, tem capacidade para pedir desculpa – só o Homem nobre o faz;

*Observa-se a si próprio, quando lhe parece ter tido um comportamento menos correto, pode não manifestá-lo diretamente, mas tenta a conciliação;

*é estudioso e tem capacidade de trabalho

Este é o brilho e luz de Dr X – nada tem a ver com títulos mas sim, com a sua essência única e genuína. Não são as profissões que fazem as pessoas mas sim as pessoas que fazem as profissões.

Quem és tu? Responde sem: nome, profissão, remuneração que ganhas, coisas que já fizeste, quem são os teus amigos 🙂 Repito 🙂 Quem és tu?

🙂 Qual é o brilho e a luz da tua essência? 🙂

Deixe um comentário