O Que Dizes A Ti Próprio?

O ser humano pensa constantemente e fala consigo próprio, continuamente.

O que dizes a ti próprio de positivo ou negativo, na maioria das vezes, é o que te disseram e o que ouviste em criança.

Como é que comunicas contigo próprio?

A mensagem que transmites a ti próprio é harmoniosa?

A mensagem que transmites a ti próprio é um pensamento conflituoso, baseada na crítica?

Se parares um pouco e se te permitires recuar no tempo é provável que percebas que a conversa que tens contigo próprio é o tipo de conversa que os adultos que te rodearam em criança tinham contigo, com eles e com os outros.

Assim, de onde parte, verdadeiramente, o diálogo que tens contigo?

De ti ou dos outros?

Dos outros, claramente!

As mensagens interiorizadas no teu subconsciente podem ser mensagens muito negativas, baseadas na escassez de amor incondicional e consequente baixa auto-estima, que te levam a pensar não sei o que fazer , não sei o que dizer, não acredito em mim nem nos outros, não tenho tempo para fazer o que gosto…

A escassez de amor-próprio e a ideia limitadora de que errar é o maior “pecado” do mundo levam-te a adiar a vida e a acreditar que nada em ti e à tua volta é perfeito, por isso, não te sentes merecedor em sonhar e/ou em concretizares os teus sonhos.

Urge mudar o diálogo que tens contigo próprio.

Urge libertares-te das vozes castradoras dos outros.

Urge perceberes que tens um valor único e genuíno e que o que os outros dizem, mesmo que seja desvalorizante, em nada destrói o tesouro que tens dentro de ti, são apenas pensamentos e palavras que os outros têm  – pertencem aos outros não a ti.

Costumas pensar que os outros têm muita sorte e que tu não tens sorte nenhuma?

Na verdade, a sorte conquista-se todos os dias, passo a passo, com a mudança do teu diálogo interior e com o agir em conformidade com essa mudança.

“Quando tu mudas, tudo muda” – Jim Rohn

Criticaste continuamente?

Estás sempre à procura de imputar a responsabilidade do que te acontece aos outros?

Dizes a ti próprio que és uma vítima?

Procuras, incessantemente, a aprovação dos outros?

Mesmo que outros te aprovem de nada serve esta aprovação se não te aprovares a ti próprio.

Achas que o teu valor surge da tua dedicação aos outros? Liberta-te desta falsidade. Só quando cuidas do número um, que és tu próprio, consegues cuidar do número dois, que são os outros.

Permite-te escutar o teu pensamento e ouvir as tuas palavras.

São palavras negativas e limitativas?

Adoras ouvir e contar histórias negativas?

A palavra devia pertence ao teu vocabulário?

Devia é uma palavra que traz muita rigidez à tua vida. Traz a necessidade de controlar tudo o que acontece. Por isso, constantemente, te tratas mal a ti e aos outros.

A expressão tenho que cria imensa pressão.  A pressão cria stress.

O mas pode ser muito contraditório. Se fizeres uma afirmação positiva e , logo a seguir, colocas um mas, a indefinição instala-se.

Quais são os teus pensamentos quando acordas de manhã? Resmungas e queixaste de tudo? Assim vai ser o teu dia!

Quando te deitas, a tua almofada guarda, secretamente, uma enorme lista de preocupações, escassez, críticas e julgamentos?

Muda o teu diálogo interior.

Errar é humano. É desta forma que se aprende a fazer melhor.

Começa a fazer, por mais impreparado que te sintas. É no fazer que recebes a informação necessária para, a seguir, fazeres melhor.

Afasta-te das histórias negativas e abraça as positivas.

Seleciona o teu pensamento e as palavras que dizes.

Pára de te insultar como alguém ou alguéns te fizeram. Mereces receber amor pelo facto de existires.

Trata-te com amor, respeito paciência, bondade e gentileza.

Assume a responsabilidade da tua felicidade: aprende e treina-te a ser feliz 🙂

1 comentário em “O Que Dizes A Ti Próprio?”

Deixe um comentário