Mas, Afinal, O Que É Isso Do Amor Incondicional?

Há quem entenda que a vida terrena é apenas uma ilusão, uma passagem, como se pouco importasse o que aqui se faz. É uma opinião, a minha é outra. Aquilo que se faz neste mundo importa e muito.

Viver no planeta Terra é sinónimo de aprendizagem e crescimento naquele que é a nossa força maior: o amor incondicional.

Na verdade é o único bem que levamos connosco quando chega a hora de partir. Por isso, estar atento ao que dizemos, fazemos e sentimos é responsabilidade de cada um, para nosso próprio bem e para o bem comum.

Só conseguimos dar aquilo que existe dentro de nós. Só conseguimos refletir aquilo que brota, genuinamente, do nosso coração.

Um coração amargurado e pouco confiante confunde, muitas vezes, amor incondicional com posso fazer tudo o que me apetece que tu estás sempre aqui para mim – mesmo que isto signifique humilhar, trair, pôr à prova, viver vidas duplas. A isto chama-se amor condicionado. Revela a falta de amor que se tem por si próprio e, consequentemente, pelos outros.

O amor incondicional nasce e amadurece dentro de cada um de nós, enquanto seres individuais e únicos. Surge quando somos capazes de compreender as nossas limitações, as nossas sombras. Quando temos compaixão por nós próprios e nos perdoamos por tudo aquilo que fizemos, sentimos e dissemos de menos bom.  Quando aceitamos que há um caminho a percorrer, de grau em grau, até alcançar a melhor versão de nós próprios, esta mesma, em evolução constante. Quando nos permitimos perguntar o que nos faz sentir bem, o que nos faz sentir feliz, o que queremos alcançar… Quando aprendemos a apreciar e a valorizar o que somos e quando conseguimos ver-nos como alguém único e valioso. Quando nos permitimos ter liberdade para existir e ser feliz.

Só quando nos aceitamos incondicionalmente somos capazes de aceitar os outros.

Só quando me permito perguntar a mim própria e respeitar o que quero consigo perguntar ao outro o que queres para ti, com real respeito.

Só quando me permito compreender que os “erros” fazem parte da minha aprendizagem e do meu crescimento consigo compreender que o outro também “erra” porque, tal como eu, está a aprender e a crescer.

Só quando aceitamos as nossas qualidades e as nossas fragilidades, só quando conseguimos ter compaixão por nós próprios conseguimos ter compaixão e aceitar as qualidades e fragilidades do outro.

O amor incondicional é sinónimo de reciprocidade nos sentido em que nos doamos em pé de igualdade: estar atento às minhas necessidades e às necessidades do outro, ainda que possam ser diferentes, estar atento aos objetivos que pretendo atingir e aos objetivos que o outro pretende atingir, como me posso ajudar a mim e como posso ajudar o outro.

O coração que cresce no amor incondicional vai revelando a melhor versão de si a si próprio e aos outros. Dá e recebe, recebe e dá. É a lei do retorno na sua plenitude “o nosso exterior reflete o nosso interior”. Dás o que sentes e recebes o que sentes. É o sentimento que emite a vibração e não o pensamento.

O amor incondicional respeita e dignifica o teu coração e o do outro. Aprende-se e treina-se…

1 comentário em “Mas, Afinal, O Que É Isso Do Amor Incondicional?”

  1. É uma aprendizagem que leva tempo,mas quanto mais nos responsabilizamos e não quisermos entender que o melhor caminho é sermos nós próprios sem tabus, o respeito,amizade o amor , tudo isso tem que partir de nós próprios.

    Responder

Deixe um comentário