Dicas Para Te Libertares Do Medo Destrutivo

Estamos em Agosto de 2020, o meu irmão e a minha cunhada casaram-se há 14 anos e a minha filha tem 14 anos de vida.

Todos os anos, de forma criativa, a minha cunhada assinala mais um aniversário, organiza uma festa e volta a convidar os presentes no dia da boda.

Este ano foi diferente. Mais do que nunca saiu-se do piloto-automático e tem-se duas opções: ou, simplesmente, desistimos de fazer o que era habitual ou nos reinventamos, descobrindo que a vida pode ser vivida e comemorada numa infinidade de possibilidades 🙂

Tal como aconteceu com muitas outras situações desde a quarentena, este ano, a comemoração fez-se através do telemóvel e do whatshapp 🙂 já diz o ditado: quem guarda acha e, assim, foi possível publicar, ao longo de vários dias, fotografias referentes a todas as festas, tendo a última publicação ocorrido, ontem, reportando-nos para o ano de 2007 – já lá vão 13 anos!!!

Como o tempo passa depressa, como há memórias que são esquecidas, pessoas queridas que já partiram e muitas e variadas mudanças em várias áreas da vida para todos e, principalmente, para mim e para a minha filha.

A vida é uma caixinha de surpresas que, aparentemente, nos pode tirar o chão de várias formas, em várias áreas da vida mas, no final de tudo, o que tenho observado, é que, o que muitas vezes nos parece ser dar dois passos para trás é, na verdade, o que nos permite evoluir e desenvolver como pessoas para, a seguir, podermos andar para a frente, com segurança, afastando-nos, cada vez mais, do medo destrutivo. Somos mais fortes, mais resilientes, mais capacitados do que pensamos 🙂 …

Tantos medos que muitas vezes sentimos e, afinal, descobrimos que não valeu a pena ter medo 🙂

“Não cultives pessimismo, Esquece as sugestões do medo destrutivo”

O medo existe porque existe falta de amor.

Escolher o medo ou escolher o amor é somente responsabilidade de cada um de nós.

Escolher sobreviver ou viver é somente responsabilidade de cada um de nós.

Podemos escolher ter medo da mudança e ter medo de arriscar ou podemos escolher ultrapassar as nossas limitações.

Podemos libertar-nos de todas as dúvidas e medos destrutivos aprendando a amar-nos e a confiar em nós próprios.

Crescemos a acreditar e a confiar naquilo que é exterior a nós e não a acreditar e a confiar no nosso poder interior.

O medo destrutivo, a linguagem derrotista e negativa está bem presente na nossa vida, desde o nosso nascimento. Falamos e pensamos mais sobre aquilo que não queremos do que aquilo que queremos.

Vivemos imbuídos em crenças e padrões pejados de não em vez de sim.

Adoramos histórias e notícias catastróficas, ouvir e participar em ideias negativas, aderir a pensamentos nocivos.

Alinhamos, com a maior das facilidades nas emoções destrutivas – é o padrão vivido pela maioria, facilmente aprendido e reproduzido.

Parece ser mais tentador agarrar-mo-nos à destruição, à bajulação, ao conflito do que à construção, ao elogio, à harmonia.

Desconfiamos de nós próprios porque desconfiam de nós desde pequeninos.

Vivemos experiências traumáticas que nos causam sintomas de ansiedade, pânico ou fobia sempre que acontece algo semelhante aquilo que nos traumatizou.

Acreditamos em muitas desqualificações a que fomos sujeitos, quando, na verdade, o que os outros dizem de nós, na maioria das vezes, não é o que nós somos.

O nosso inconsciente fica, assim, impregnado de medos destrutivos pelo que vimos, escutamos, vivenciamos. Sendo a natureza da mente pensar, fácilmente os nossos pensamentos são mais destrutivos do que construtivos, dado que o medo destrutivo existe no nosso inconsciente e no mundo que nos rodeia de forma muito enraizada.

“Não cultives pessimismos, esquece as sugestões do medo destrutivo”

Sim, isto é possível 🙂

Como?

  • Identificando os nossos medos, assumir a sua existência;
  • Acreditar que é possível viver sem medo;
  • Acreditar que amar-se a si próprio é fundamental para saber quem se é, porque está aqui e quais são as nossas convicções;
  • Saber que aquilo que pensamos acerca de nós próprios e do mundo que nos rodeia são apenas pensamentos e que os pensamentos podem ser mudados;
  • Quando mudamos a nossa maneira de pensar tudo muda à nossa volta;
  • O medo destrutivo é uma limitação da nossa mente. Há que aprender e treinar a comandar a mente;
  • Que é possível abandonar ideias e crenças que nos colocam na frequência do medo destrutivo e abraçar ideias e crenças que nos apoiem e beneficiem

Afirmações para nos libertarmos dos medos, de Louise L. Hay

  • Eu estou disposto a libertar-me dos meus medos;
  • Eu vivo e movimento-me num mundo seguro;
  • Eu liberto-me de todas as dúvidas e medos destrutivos;
  • Eu aceito-me e crio paz na minha mente e no meu coração;
  • Eu ultrapasso os pensamentos que tentam que eu fique zangado e com medo;
  • Eu liberto-me facilmente do passado e confio no processo da vida

Estas afirmações são repetidas muitas e muitas vezes até que passem a ser a nossa forma de sentir. Avanços e recuos fazem parte do processo.

“Os dias de dificuldade, de amargura, de solidão, dores, lágrimas, frustrações passarão porque todas as coisas na Terra passam.”

“Dias de tristeza, dias de felicidade são lições necessárias que na terra passam, deixando no espírito imortal as experiências acumuladas”

1 comentário em “Dicas Para Te Libertares Do Medo Destrutivo”

  1. Acho que o medo sempre existiu, e existe, falo por mim, nem tudo estamos preparados para o enfrentar,a vida tem muitos ses,umas vezes enfrentamos, outras sentimos fracassados, o que nos leva ao medo. Sei é Preciso ser trabalhado para que isso não aconteça.

    Responder

Deixe um comentário