Como Criar E Manter A Autoestima e O Amor-Próprio – VI

Olá 🙂

Para compreenderes melhor este texto aconselho-te a ler os 5 primeiros desta série…

Continuamos, assim, as perguntas que nos fazem mergulhar dentro de nós mesmos, pois, têm como objetivo descobrir as camadas tóxicas que cada um de nós tem enraizadas dentro de si próprio… Esta descoberta permite-nos afastar as vozes dos outros – tudo aquilo que não nos pertence – e, caminhar … … …, passo a passo, para a conquista do nosso verdadeiro eu:

  • Costumas observar o que faz o outro sentir-se bem, ou, ofereces o que é normalmente aceite ou o que te parece melhor? Se observas o outro é porque já te observas a ti próprio 🙂 se, pelo contrário, ages sem sentires o outro é porque não te sentes a ti próprio
  • De que tens medo? Quem te disse que devias ter medo disso e porquê?
  • Gostas de pagar contas ou não? Porque gostas ou não gostas de pagar contas? O que te disseram acerca do dinheiro?
  • Creceste a ser comparado com os outros? Lembra-te: isto acontece porque crescemos rodeados de adultos longe da sua essência, bastante formatados – eles comparam-se, constantemente, com os outros; mesmo que não o manifestem
  • O que te disseram acerca de? : coragem – determinação – imaginação – entusiasmo – trabalho em equipa – salto de fé (ter fé)
  • Acreditas que para vencer é preciso competir? Quem te disse isso e porquê?
  • As aprendizagens fazem-se de imediato, em toda e qualquer área, ou, são um processo? Recordaste de quem te ensina algo uma vez e acha que tens de aprender de imediato? Está correto? Claro que não 🙂 Revela ignorância 🙂
  • Quando não sabes alguma coisa aceitas que não sabes e procuras saber, ou, escondes isso de ti e dos outros?
  • Escolhes o que parece bem aos olhos dos outros? Porquê? Quem te disse que isso é correto?
  • O que te disseram acerca da mudança, em qualquer área – familiar, social, laboral, lúdica…? Que é saudável e imprescindível ao crescimento pessoal ou que é um risco?
  • Alguma vez te disseram para teres confiança no sexto sentido – teres confiança naquilo que o teu coração te diz?
  • Estás habituado a escutares o teu coração, a tua voz interior? Sabes o que é isso?
  • Quando te elogiam sentes-te bem e agradeces, ou, sentes-te atrapalhado?
  • Em que te ensinaram a acreditar: na harmonia ou no conflito?
  • Tens objetivos a atingir? São os teus objetivos ou são os objetivos que outros te disseram para atingir?
  • O que esteve e está mais presente na tua vida: a humilhação ou o elogio?
  • O que significa, para ti amor, incondicional? Fazeres tudo o que o outro quer; o outro fazer tudo o que tu queres; ou, aceitares, em ti e no outro, as fragilidades e as qualidades de cada um?

🙂 Muitas outras perguntas podem ser colocadas, para isso, a consulta e o encaminhamento individual é imprescindível – é importante conhecer a história de vida de cada um … 🙂

Lembra-te 🙂 escreve todas as respostas. As respostas são a forma como vês e te moves no mundo.

As respostas são os pensamentos que habitam na tua mente.

Todas as respostas negativas e destrutivas são pensamentos negativos e destrutivos que provocam sentimentos destrutivos e negativos derrubando, assim, o nosso amor-próprio.

Todas as respostas positivas e construtivas são pensamentos positivos e construtivos que provocam sentimentos positivos e construtivos alimentando, assim, o nosso amor-próprio 🙂

Todos os pensamentos negativos têm que ser transformados em pensamentos positivos: transformar as sombras em luz 🙂

No próximo texto: Vamos Falar De Afirmações Positivas E para que servem … … … 🙂

Deixe um comentário