Como Criar E Manter A Autoestima E O Amor-Próprio – II

Autoritarismo e manipulação são comportamentos eficazes para a destruição da autoestima e amor-próprio.

A destruição da autoestima e amor-próprio impossibilitam-nos de conhecer a nossa verdadeira essência, única e genuína.

Perceber com que tipo de pessoas crescemos faz-nos entender o porquê de termos determinados medos e inseguranças… todos temos 🙂 é fundamental aceitar isto para que possamos soltar a melhor versão de nós próprios 🙂

No último texto, escrevi sobre as características de pessoas autoritárias. Depois de o leres, entendes e amplias a tua consciência para este texto e para os próximos 🙂

Pontos comuns a pessoas autoritárias e manipuladoras: nunca erram; nunca pedem desculpa, infligem ofensas e agressões físicas ao outro, gostam de humilhar, não respeitam os limites do outro nem a sua vontade própria.

Perguntas que te ajudam a identificar pessoas manipuladoras:

  • Incentivaram a tua força de vontade ou, sempre que manifestavas interesse em conseguir algo, arranjavam todo o tipo de argumentos para te fazerem duvidar da tua vontade e anular a tua força? No fundo, o interesse é que duvides de ti próprio
  • Olhavam para o teu esforço na prossecução dos objetivos ou apenas se limitavam a fazer críticas destrutivas e a apontar defeitos?
  • Ajudavam-te a descobrir o que estavas a pensar e a sentir ou ainda te sentias mais confuso?
  • Riam-se das tuas opiniões?
  • Facilmente te faziam sentir culpado?
  • Descobriste, algumas vezes, que te esconderam informação importante?
  • Sobre determinado assunto ou situação que tenha acontecido, tendo tu perfeita noção da mesma, era normal dizerem-te que percebeste mal?
  • Era frequente comentarem erros e falhas cometidas no passado, mesmo que já as tivesses ultrapassado?
  • Quando algo corria mal e a responsabilidade foi do adulto a culpa era imputada a ti?
  • Colocavam palavras na tua boca, coisas que não disseste?
  • Tudo o que fazias, dizias e querias nunca era respeitado, tendo sempre um defeito a apontar?
  • Faziam-te pedir desculpas por coisas que não fizeste?
  • Deixavam-te escolher à tua vontade ou eram- te dadas duas ou três hipóteses de escolha? Na verdade, condicionar a vontade a hipóteses de escolha é fazer a vontade do manipulador
  • Diziam-te como devias viver?
  • Recebias conselhos de como devias fazer as coisas, passo a passo e, se o resultado não fosse o esperado, a responsabilidade era tua e não de quem indicou o caminho?
  • As tuas qualidades eram menosprezadas?
  • Sentiste ignorado com frequência?
  • Quando fazias perguntas ao adulto sobre ele próprio respondia-te ou mudava a conversa?

Nota que o autoritarismo e a manipulação, para além de estarem presentes durante toda a fase do nosso crescimento – de bebé a adulto – continua presente nas nossas vidas. No trabalho, na família, no lazer … podes identificar pessoas com este perfil, utilizando as perguntas acima escritas 🙂

Desfasadas da sua verdadeira essência, apegadas a medos, inseguranças e crenças limitadoras, encontram-se em permanente conflito consigo próprias. Incapazes de expandirem a sua consciência, tudo o que é diferente daquilo em que acreditam e que as faz sentir seguras é detonado.

Quanto maior é a necessidade de controlar o outro maior é a manifestação de carência que o autoritário e o manipulador têm de si próprios 🙂

Deixe um comentário