Afinal, O Que É Isso Do Ego?

Nas últimas consultas com o meu osteopata, ele tentava falar comigo sobre o ego… 🙂 tentava… 🙂 – na altura entendia que, indiretamente, ele me achava egoísta e desprovida de empatia, o que não correspondia à verdade. De facto, esquecia-me fácilmente de mim mesma, o que não é nada saudável – …até que chegou o dia em que ele me disse: “já vi que não posso falar consigo sobre o ego” e, ao que parece, tinha razão 🙂 eu não estava preparada para falar sobre o assunto…até agora – quando procuras incessantemente o conhecimento, à medida que estás preparado, ele chega até ti.

Efetivamente, no quotidiano, fala-se do ego quando observamos em alguém determinados comportamentos que passo a citar:

  • considerar que titulos, cargos e profissões exercidas nos colocam numa posição de superioridade e que nos dá o direito de tratar os outros como seres inferiores
  • em situações de atendimento ao público, com hora marcada, fazer a pessoa esperar indefinidamente esquecendo-nos que a mesma tem vida própria e que a vida da pessoa não gira à nossa volta 🙂
  • querer que determinada pessoa vá connosco onde nos apetece sem lhe perguntar se quer ou pode ir
  • enfim,…existe uma panóplia de comportamentos egoicos de nós para com os outros e dos outros para connosco…

… toda a movimentação ocorrida na minha vida, no último ano e meio, rica em aprendizagens e tempo para observar fazem-me recordar, com frequência, as palavras proferidas pelo meu osteopata: “Já viu como as pessoas são” …Sem dúvida!!!

Na verdade, todo o tipo de comportamento egoico está relacionado com o facto de o ego ser uma ilusão, ilusão esta criada pelo nossa falta de treino em observar a realidade tal como ela é e pela distância que a grande maioria de nós tem dos próprios sentimentos, sentimentos estes fundamentais na aquisição de conhecimento sobre o que precisamos afastar ou aproximar de nós que nos possibilita, de forma inequivoca, perceber a verdade do nosso coração – única e intransmissível.

Mas, afinal o que é isso do ego?

Muito para além de comportamentos egoístas e causado por vivências castradoras desde o nascimento ou, até mesmo, desde o momento da concepção – dado que a partir daqui tudo se começa a sentir e a escutar.

Osho começa assim: “quando a criança nasce, a primeira coisa de que ela se torna consciente não é de si mesma mas do outro…os olhos abrem para fora, as mão tocam no outro, os ouvidos escutam os outros, a língua saboreia a comida e o nariz cheira o exterior”

A criança desde que nasce e durante todo o processo de crescimento age e fala de acordo com o que lhe é transmitido – de forma saudável ou não.

,São incutidas mensagens no sub-consciente que de tantas vezes repetidas, observadas no comportamento dos outros e incutidas, muitas vezes, de forma manipuladora, voraz e violenta, se tornam verdades absolutas de como a vida deve ser vivida.

A “personalidade” e comportamentos do ser humano surgem e desenvolvem-se longe dos próprios sentimentos, diretamente apegados, de forma doentia, a regras já existentes antes do nascimento, repetidas ao longo de gerações, sem serem questionadas por toda uma panóplia de pessoas que, ao não permitir-se abrir a consciência de forma saudável, vive adormecida, agarrada ao que parece bem dizer, ser, fazer e ter.

Osho: “a sociedade formata a criança para o exterior e impede-a de conhecer o seu verdadeiro eu”

As pessoas crescem não conscientes de quem são mas conscientes do que os outros pensam a seu respeito – eis o ego – o reflexo do que os outros pensam, a ilusão instala-se: pensa-se ser o que os outros pensam de mim, fala-se, faz-se e tem-se o que os outros me dizem para falar, fazer e ter e, aqui, entra, também, o marketing e a publicidade a ajudar à “festa”…e, a maioria nem percebe a manipulação exercida, afinal, é uma continuação do que nos é feito desde o nosso nascimento, de uma forma mais aguçada e incisiva.

Eis o Ego – Uma Ilusão – Tudo aquilo que pensas ser e que, na verdade, não és 🙂 e esta, hein? 🙂

Deixe um comentário