2 Maneiras Para Influenciar Pessoas

Para alcançar o sucesso e estar em sintonia com a lei Universal, nas relações humanas é imprescindível respeitar o princípio do livre-arbítrio.

Em que consiste o princípio do livre-arbítrio?

A liberdade que é dada ao ser humano para se expressar como bem entender. Claro que esta liberdade vem sempre acompanhada de algo precioso – a responsabilidade.

É necessário que o ser humano desenvolva um respeito total pelo outro ser humano.

Todos somos células, energia, fazemos parte de um todo, que é o Universo. Todos estamos no mundo e temos a liberdade de estar no mundo.

Todo o ser humano tem uma identidade única e genuína. Todo o ser humano contribui com a sua unicidade e o seu olhar para o todo, que é o mundo, o Universo.

O ego não cabe no princípio do livre-arbítrio. A pessoa apegada ao Ego considera-se o centro do mundo. Só as suas opiniões são válidas. O ego cria uma cisão com os outros e com o Universo.

O ego também não influencia positiva e construtivamente as pessoas.

Porquê?

1) O maior desejo do ser humano é sentir-se importante, respeitado, interessante.

Como podemos fazer isto?

Por momentos, deixar de pensar em nós próprios, na nossa vontade, nos nossos desejos e pensar nos pontos bons que a outra pessoas tem.

Há sempre algo de bom e valioso no outro.

Focarmo-nos no lado positivo permite-nos encontrar razões para elogiar, honestamente, a pessoa.

“Conheço pessoas – e todos conhecemos – que pensariam ter praticado um crime, se deixassem as suas famílias ou empregados sem alimento durante 6 dias, 6 semanas e, muitas vezes, 60 anos, sem lhes dispensarem palavras de consideração, coisa que desejam tanto como o alimento.

Elogiar é encorajar o melhor que existe dentro do outro.

Elogiar é amor e luz para uma essência de amor e luz que todos temos, muitas vezes, desperdiçada porque escondida por crenças e ideias limitadoras de como a vida deve ser vivida.

Elogiar é incentivar todo e qualquer progresso.

Elogiar é ajudar a descobrir a verdadeira identidade de cada um e ajudar a pessoa a tornar-se na melhor versão de si própria.

Elogiemos 🙂

2) Descubra a vontade do outro: o que é que a pessoa faz, do que é que a pessoa fala com ânimo, com empenho? O que é que lhe provoca um sorriso genuíno, um sorriso de dentro para fora?

Liberte-se da tendência de falar sobre o que pretendemos. Só nós próprios estamos interessados, ninguém mais. Os outros não estão interessados em sabermos o que queremos mas sim no que querem.

Como podemos conquistar a simpatia dos outros?

Fazendo o inverso. Utilizar a rara capacidade de querer saber, com verdadeiro interesse, quais os objetivos e interesses do outro.

Fale sobre o que o outro quer ouvir, ajude-o a alcançar os objetivos.

Todos estamos interessados em solucionar os nossos problemas. Quem se aproxima de nós para nos ajudar, torna-se verdadeiramente interessante.

Substitua o : eu quero que tu faças assim!…, por: O que é que tu queres?

Alinhe a vontade do outro com a sua vontade.

Partilha, connosco, exemplos práticos de como já conquistaste a simpatia dos outros

Deixe um comentário